Escrito por:

#Notícias | 03/11/2021


Marcelo Armesto inaugura exposição na Biblioteca Pública

O artista visual Marcelo Armesto inaugura a exposição “Entre – inventários de uma poética” na Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul (R. Riachuelo, 1190 – Centro Histórico, Porto Alegre). Trata-se da primeira exposição individual em Porto Alegre do artista, que foi financiada pelo FAC – Fundo de Apoio à Cultura, do Pró-Cultura RS. Com entrada franca, a mostra poderá ser conferida presencialmente, a partir do dia 4 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 10h às 19h, até o dia 4 de dezembro. A abertura contará com a presença do artista, a partir das 18h30, fazendo visitas guiadas. A entrada será limitada, respeitando os protocolos sanitários vigentes, por ordem de chegada.

 

Serão expostos seis trabalhos: “Vago”, série de cadernos de aquarelas sobre a paisagem; “Preciso #2”, conjunto de desenhos de folhas de uma árvore conhecida como ligustro, uma das mais comuns em Porto Alegre; “Desmontagem”, livro de artista; “Monte”, série de desenhos de conchas recortados e remontados; “Pretexto #2” coleção de montagens tipográficas em papel de fax e “Capitular”, um trabalho em vídeo. Essas séries orbitam o romance “Se um viajante numa noite de inverno”, de Italo Calvino, e estabelecem uma relação da literatura como promotora de procedimentos criativos. 

 

“Por meio de uma pesquisa de superfície, busco tecer relações e tangenciamentos entre as seis séries que têm a repetição, a grade e uma certa relação entre precisão e imprecisão como ponto-chave”, comenta Armesto.

 

Segundo o artista, o texto de Calvino funciona como um subterfúgio para escapar do vazio criativo, e carrega consigo uma série de procedimentos passíveis de serem repetidos. O texto do autor italiano torna-se, portanto, um deflagrador poético, imantando os trabalhos que compõem a exposição. “Não é sem motivo que o encontro com o texto de Calvino tem sido tão prolífico: o romance é feito de começos de romances. Nele, a interrupção é o que une a obra e, como numa narrativa romanesca, o corte é o que lança o interesse para o próximo episódio”, explica.

 

CICLO DE CONVERSAS SEMANAIS

O projeto conta ainda com um ciclo de conversas semanais, na Salão Mourisco, como forma de ativação da exposição e do espaço da Biblioteca. Participarão Cristiano Baldi (professor e escritor com incursões nas artes visuais), no dia 10/11; Eduardo Veras (curador, crítico e historiador da arte), no dia 17/11; Jailton Moreira (artista, professor e curador), no dia 24/11; e Claudia Caimi (professora doutora em Linguística e Letras), no dia 1/12; para dialogar com Marcelo Armesto e ampliar a conversa sobre as tangências entre literatura e artes visuais. Os encontros serão gratuitos, sempre às quartas-feiras, a partir das 18h30, para público limitado. A entrada será por ordem de chegada, respeitando os protocolos sanitários vigentes, sem necessidade de agendamento.  

 

Em vez de um catálogo padrão, a mostra contará com um livro-catálogo: a reedição do trabalho “Desmontagem”, adicionando ao livro existente imagens sobre as outras séries expostas, além de textos e conteúdos produzidos para a mostra.  O livro será distribuído gratuitamente na abertura da exposição, bem como nos dias de atividade do “Ciclo de Conversas”.

 

MARCELO ARMESTO

Marcelo Armesto é artista visual, designer e ilustrador. Mestre em Poéticas Visuais pelo PPGAV-UFRGS, tem no desenho o fio condutor de sua prática artística. Desde 2017 vem trabalhando com a literatura como deflagradora de uma série de trabalhos que envolvem a ideia de repetição, de corte e de montagem. 

 

EXPOSIÇÃO “ENTRE – INVENTÁRIOS DE UMA POÉTICA” – MARCELO ARMESTO

Quando: de 4/11 a 4/12

Dias e horários de visitação: de segunda a sexta, das 10h às 19h.

Local: Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul (R. Riachuelo, 1190 – Centro Histórico, Porto Alegre)

ENTRADA FRANCA

 

ABERTURA COM A PRESENÇA DO ARTISTA

No dia 4/11, haverá a abertura da exposição, a partir das 18h30. Marcelo Armesto fará visitas guiadas com grupos que tiverem interesse. A entrada será limitada, respeitando os protocolos sanitários, por ordem de chegada.

 

CICLO DE CONVERSAS SEMANAIS DE MARCELO ARMESTO E CONVIDADOS

Datas: 

10/11 — Conversa com Cristiano Baldi

17/11 — Conversa com Eduardo Veras

24/11 — Conversa com Jailton Moreira

01/12 — Conversa com Claudia Caimi

 

Horário: das 18h30 às 20h30

Local: Salão Mourisco – Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul (R. Riachuelo, 1190 – Centro Histórico, Porto Alegre)

ENTRADA FRANCA

 

SOBRE AS OBRAS:

“Vago” é uma série de cadernos de aquarelas sobre a paisagem. Utilizando uma grade, o artista faz um inventário das cores de determinada paisagem, pintando uma certa “cor do ar”. Então, anota as coordenadas geográficas, a data e a hora da execução da pintura. Originam-se assim os cadernos de “Vago”.

 

“Preciso #2” é uma série de desenhos de folhas de uma árvore popularmente conhecida como ligustro, uma das mais comuns de Porto Alegre. A busca aqui é por restringir o tema e liberar as abordagens gráficas, de modo a dar a ver a mesma folha de inúmeras formas.

 

“Pretexto #2” é uma série de desenhos que utiliza famílias tipográficas como matriz geradora. O artista identifica as fontes que foram utilizadas em edições do livro “Se um viajante numa noite de inverno”, de Italo Calvino, projeta-as sobre folhas de papel tamanho carta e traça essas letras fazendo composições com suas formas. Utiliza papel termossensível – como o utilizado antigamente em máquinas de fax, e a ponta quente de um pirógrafo como técnica de desenho.

 

“Monte” é uma série de montagens a partir de desenhos de observação de conchas. O artista corta esses desenhos utilizando diversos modelos geométricos e os remonta em composições que têm como intenção trabalhar com ritmos e pequenos enunciados. 

 

“Desmontagem”  é um livro de artista criado a partir da apropriação do texto “Se um viajante numa noite de inverno”. O artista investigou o romance por meio de uma prática de pesquisa da linguística, a análise de corpus, que se debruça sobre a coleta e o estudo de padrões de linguagem utilizados na escrita. Assim é possível, por exemplo, contar o número de vezes em que uma palavra aparece no texto, indicar qual combinação de duas palavras mais ocorre etc. Com esses dados em mãos, remonta tudo em um novo livro.

 

“Capitular” é um trabalho em vídeo, formado por uma tela dividida em grade com dez quadros, onde apenas um começa ativo. Cada um deles contém a leitura em voz alta de um capítulo, os começos de romances que compõem “Se um viajante…” O vídeo mostra o quadro de uma leitura por vez; o ponto de inflexão em que um quadro troca para outro é uma palavra repetida nos dois textos, por exemplo “leitor”. O trabalho, assim, alterna entre as dez leituras, costurando um novo texto dentro da narrativa de Calvino.

 

SOBRE OS CONVIDADOS | CICLO DE CONVERSAS

Cristiano Baldi

Professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, mestre em Letras e doutor em Escrita Criativa pela mesma universidade. Escritor, finalista do Prêmio São Paulo de Literatura de 2018 com o romance “Correr com Rinocerontes”. Teve adaptações para o teatro pelo grupo paulista Cemitério de Automóveis. Roteirista de Elvis e o Cometa, minissérie para a televisão que ganhou o prêmio FicTV, do Ministério da Cultura. Dirigiu, roteirizou e exerceu funções diversas em curta-metragens e videoclipes musicais. Ministra cursos e oficinas de literatura e de roteiro cinematográfico.

 

Eduardo Veras

Eduardo Veras é crítico e historiador da arte. Professor no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), atua no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais e no Bacharelado em História da Arte. É membro do Comitê Brasileiro de História da Arte (CBHA) e da Associação Brasileira de Crítica de Arte (ABCA). Integra o conselho deliberativo da Fundação Vera Chaves Barcellos e o comitê de curadoria do Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli. É mestre (2006) e doutor (2012) em História, Teoria e Crítica de Arte pela UFRGS, com estágio de pós-doutorado no mesmo programa. Como curador, apresentou, entre outras exposições, “Tudo está cuidadosamente envolto em pó” (individual de Amanda Teixeira, Instituto Goethe, Porto Alegre, 2019-20) e “Até que meus dedos sangrem” (individual de Teresa Poester, Sala João Fahrion, Reitoria da UFRGS, Porto Alegre, 2019-20). 

 

Jailton Moreira

Artista plástico, professor e curador brasileiro, um dos fundadores do Torreão, importante espaço de produção, debate e pesquisa em arte contemporânea, que funcionou em Porto Alegre entre 1993 e 2009, trazendo renomados artistas e críticos locais e nacionais. Ministra cursos e orientações para outros artistas. Vem atuando como curador em diversos projetos, como o Rumos Artes Visuais do Instituto Itaú Cultural, além de participar como membro de comissões de avaliação de reconhecidas premiações como Prêmio PIPA e Prêmio Marcantonio Villaça.

 

Claudia Caimi

Possui graduação em Letras pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1984), mestrado em Lingüística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1991) e doutorado em Lingüística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2001). Atualmente é professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria da Literatura. 

 

O projeto Entre – Inventários de uma poética, de Marcelo Armesto, tem financiamento do Pró-Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul.